segunda-feira, junho 07, 2010

Vai começar....o enroletion...tom...tom



O começo do fim. No final desta semana tem início a Copa do Mundo. Durante 20 dias não falaremos das mortes de crianças, do avanço do crack (nóia), das famílias que moram em encostas e da sucessção presidencial-estadual, além dos legislativos.

Durante todo esse período vamos nos compadecer com a miséria africana, em detrimento de nossas próprias. O mais grave é que diante da tela torceremos pelos brasileiros mais bem sucedidos do país. Ou alguém tem dúvidas de que nosso time é formado por milionários da bola.

E o pior, ainda iremos nos emocionar quando eles não conquistarem o tão sonhado título mundial. Isto porque, já se comenta que o objetivo é que o Brasil vença, aqui mesmo, daqui a quatro anos. Seria uma forma de compensar a derrota na Copa de 50.

Enfim, para mim está tudo combinado. Tá tudo combinado!

O Brasil tá mal das pernas. Não só porque o técnico é o Dunga, mas por ele não ter convocado o restante dos anões e nem mesmo os bichos: Pato, Ganso...

Alguém deve ficar puto comigo, porque não estou no clima da copa. Na verdade até estou. Quem não gosta de tomar uma e passar horas falando besteira? Eu também gosto. Tanto que já comprei camisas para a galera lá de casa. Minha filha caçula não me deixa em paz com uma corneta zunindo em meu ouvido.

Mas é que não curto mais essa de ficar totalmente envolvido com a Copa do Mundo. Meu trauma vem desde o ano de 1986, no México (Brasil x França). Vi o Zico pegar a bola, se ajeitar, correr pra bater e peder. Alí foi sofrimento. Chorei, fiquei com raiva e ainda ouvi meu pai dizer: você é besta chorar por futebol. Eles estão todos ricos e e você tá aí lascado!!!

Depois disso nunca mais fui o mesmo em relação as copas. Só gosto mesmo quando o pessoal imprensa o trabalho e saio cedo para tomar minha gelada. Claro que torço para o Brasil ir longe na competição. Mas por puro interesse pessoal.

Pois é! Me desculpem os alienados profissionais. Mas esse aqui já pendurou as chueteiras.

2 comentários:

Iuri Iacona disse...

Cara,
o Garrincha era um monstro mesmo... inigualavel. Batia de frente com Pelé. Aquele lance, do gol mais bonito da história da seleção, onde ele driblou tres italianos sem tocar na bola resume bem o q foi o garrincha.
Fiico triste por sua decepção com as copas... mas eu vou torcer e MUITO!

Marcos "Tchôla" Rodrigues disse...

Caro Iuri,

obrigado por sua visita. Quem consegue ficar sem torcer quando a bola rola? Nem eu!

Mas, estava analisando a euforia que se cria nos bastidores. Aí procurei remar contra a maré. Por outro lado a onda é muito forte. Segurá-la é muito difícil. Vou vivenciar a competição a cada dia. Porém, sou contra o clima de já ganhou.

Sucesso e saúde para vc!