sexta-feira, dezembro 05, 2008

E o Braguinha se foi...sua pauta agora é no céu


O jornalismo alagoano ficou órfão. Morreu o jornalista Roberto Brata, 24 anos que era uma das grandes promessas da categoria. Repóter da TV Gazeta ele trabalhou na cobertura de um evento patrocinado pela empresa até a madrugada.
Após fechar o texto entrou no carro e seguia para casa. No meio do caminho, próximo a entrada para o bairro onde morava, perdeu o controle do carro e bateu violentamente numa árvore. Gravemente ferido, com fratura nas duas pernas, o baço e o fígado perfurados, ele foi internado e submetido a cirurgia. Não resistiu.
Braguinha como os amigos o chamavam adorava jornalismo. Estava realizado. Depois de meses de estágio foi contratado pela emissora. Este mês receberia o seu primeiro salário como profissional. Não deu tempo.
Até agora a notícia de sua morte insiste em parecer mentirosa. Mas é uma triste realidade. O repórter que não fugia das pautas terá outra missão: entrevistar Deus. Creio que consiguirá.
Honesto, educado, gentil e muito sério. É assim que irei lembrar do Braga. Vá e fique com Deus!

Um comentário:

Maria Moura. disse...

com certeza, vai ficar uma lacuna por aqui - um mundo tão carente de pessoas decentes.
belas palavras, Tchôla. muito inspiradas e sinceras. obrigada por tê-las escrito!
também lembrarei do Braguinha assim:'um menino bom'.
e é bom saber que eu não era a única a enxergá-lo assim. aliás, será que alguém o via de outra forma? duvido.
não é porque se foi que dizemos isso, vc sabe! tenho certeza que ele sempre encontrará portas abertas, Lá e aqui. e fico feliz com isso.
quanto à idéia de sua "morte", bom, ficam ressoando em minha mente os versos de um grande poeta da minha juventude, Renato Russo:
"É tão estranho, os bons morrem antes..."
e, assim, meu coração fica em paz.