segunda-feira, março 22, 2010

Los hermanos baquetas

Dia de sorte. Enquanto acompanhava o repórter fotográfico Robson Lima pausa para outra pauta. Eis o personagem, Beto Batera (centro). Para completar a tarde, chega outra fera, o músico Carlos Bala (esquerda), irmão de Beto.

Ganhei a tarde. Primeiro porque conheci de perto o Beto, de quem sempre ouvi falar. E depois porque vi o Bala de perto. O cara simplesmente é um dos maiores músicos do Estado e tem seu nome assinando grandes produções.

Já Beto dispensa comentários. Sempre bem humorado, mesmo na doença (ele luta contra uma inflamação no fígado), deu boas gargalhadas com a gente. Contei para ele que quando era adolescente queria aprender a tocar bateria e um amigo tinha falado dele. Porém, rapidamente desaconselhou porque ele (Beto) não tinha muita paciência. Ao término da história ele confirmou que não tinha mesmo.

Beto é um mestre das baquetas. Por isso, teve agregado ao nome uma referência ao próprio instrumento - a batera. Fica aí o registro desse dia diferente de todos os outros.

Saúde Beto!

2 comentários:

Telminha disse...

Tchola, leio seu post depois de citar o Carlos Bala no meu! Feliz coincidência! Ontem, no Viva Cultura, no Posto 7, vi o show dele........ incrível!!! Já tinha visto ele comandar as baquetas durante uma tarde inteirinha... q cena! Deixo aqui minha humilde opinião em torno desse mestre......... é BALA!

Marcos "Tchôla" Rodrigues disse...

O Bala é bala. Ironicamente seu nome é referência de outra grande tradição nossa, a bala. Para adoçar a conversa vamos considerar o nosso Bala sinônimo de confeito. Certo!