segunda-feira, novembro 23, 2009

Botafogo: esse nosso amor




E ninguém cala...


Tem coisas que só acontecem com o Botafogo. A frase é velha, chata, incômoda mas perfeitamente integrada ao DNA e espírito alvinegro. Com a gente é difícil, mermão! A felicidade, a explosão do gol e a sensação de gozo, só vêm depois de muita dor. Para não dizer desespero.

Domingo tudo isso junto estava no caldeirão que se forma nos corações botafoguenses em qualquer rincão do país.

Quis o destino que nossos três gols, de virada, contra o São Paulo fossem comemorados em todo o Brasil pela maioria do povo brasileiro. O Brasil ontem era Botafogo...kkk Impensável isso, né!? Mas explico. É que como a vitória o Fogão atrapalhava a pontuação do Tricolor (São Paulo), os Urubus –digo Flamengo- só teriam que vencer para se tornarem líderes.

Pois é! Tinha um só...no meio do caminho (ou melhor dos 90 minutos de partida). O desdém e a prepotência tão comuns aos rubronegros, ontem, foi a maior dor de cabeça. Foram eles quem comemoraram os gols do Botafogo. Aliás só tiveram chance de gritar gol para nós.

Diante de um Maracanã lotado – com o maior público do campeonato – 78 mil torcedores viram o time não sair o 0x0 contra o Goiás. O time do Fernandão, lembra. Aquele que era do Internacional campeão do mundo.

Ninguém do Fla lembrava do Fernandão. A palavra de ordem era Imperador! Ô, ô, ô, ô – imperador voltooooouuuuuu!

Se bem que o Fernandão não fez nada na partida. Nem o Adriano. Como sua majestade em alta, quando notou que a marcação não o deixaria fintar, atraiu a marcação e tocou bolas. Isso não o impediu de ser o Bola Murcha do domingo. Não me esqueço do gol que ele perdeu dentro da pequena área depois de um centro de direita.

Mas vamos ao que interessa. Nunca os gols do Botafogo foram tão comemorados. Para nós alvinegros o grito vem seguido de uma ângustia com gosto de lágrima! Ontem, além disso tudo, vinha com o desejo da “Nação Rubronegra” como se intulam os caras. A cada gol do Botafogo que precisava vencer para se afastar da Zona os flamenguistas vibravam no Maracanã.

Uma cena incrível. Só que quando a bola rolou para eles, depois das seis, o time não rendeu. Não teve quem fizesse o santo baixar no gramado para poder mandar a bola para as redes. Adriano – o Imperador- para mim, foi o bola murcha do domingo. O cara teve a chance de matar a partida quando recebeu um cruzamento e- dentro da pequena área, cara a cara com o goleiro...mandou por cima. É ou não é bola murcha?


Depois disso a torcida silenciou. E aí só se ouvia no Brasil.... E ninguém cala, esse nossoa amoorrrr e é por isso que eu canto assim por ti fogoooooo!




2 comentários:

Severino Carvalho disse...

Parafraseando o nobre blogueiro: tem coisas que só acontecem com o Mengão: tão amado, quanto odiado pela torcida arco-íris. Ao invés do blogueiro exaltar a bela vitória do time de Garrincha, fica perdendo tempo em menosprezar a equipe que apresenta o melhor futebol na atualidade, segundo a crítica esportiva. É preciso lembrar que o campeonato não acabou e isso vale sobretudo para o Botafogo, que ainda não escapou da degola. Ajusta o foco, Thôla!

Ernando disse...

caro marcos.gostaria de entrar encontato contigo pois tive o maior prazer de ter jogado pelo comércial de viçosa e quero manter contato . vou mandar omeu orkut
ErnandoMesquita@bol.com.br e também o meu msn pra você que é
ernando.mesquita@hotmail.com
muito grato pela atenção.