terça-feira, fevereiro 27, 2007

Lula, professores, estudantes, Téo e o povo

Piada da greve:

Você sabe quando os professores voltarão ao trabalho?
-Somente quando Rubinho ganhar uma corrida...
Isso pode demorar. No ano passado e em toda a carreira, isso só ocorreu três vezes.
_________________________________________________________

A greve dos professores é didática. Tem horário para invasão, alimentação e solidariedade, no caso da vinda do sem terra. Do lado do governo, Téo conta com ele, ele sozinho e mais ele. E é claro a justiça. É justo?! A pergunta ficará aí...

Na última canetada dos funcionários de toga, que, se quer, podem ter sua produtividade avaliada, o governo conseguiu a ilegalidade da greve, que já dura 59 dias e uma multa, em caso de descumprimento, de R$ 10.000 ao dia. É justo?!

O detalhe é que o contexto da greve coloca Téo contra os "filhotes" de Lula, Isaac da Cut, Lenilda e Girlene do Sinteal, Paulão da ALE e do PT, mais o comunista, sem foice, nem martelo, Marcelo Malta. Téo fica no muro de Berlin. Mas parece que só ele vê isso.

A turma dos acampados campesinos e urbanos não notaram que Lula, se quiser (mas é muito difícil por conta do seu atual mapa astral que tem até Delfin entre as constelações) pode obrigar o governo tucano de Téo a recuar e por fim a paralização.

É o que o povo comenta nas padarias e botecos de Alagoas e Pernambuco. Sim, na terra do frevo, centenas de personalidades alagoanas, entre um gole e outro, discutiram saídas para crise.

-Mas que crise? É o que pergunta Téo. É justo?!

Agora pouco foi assim. Na entrada da sede da OAB, ele desconheceu a paralisia do Estado. Para o repórter Marcelo Rocha, o cabeção da rádio Jornal ele disse que "o governo recebeu a visita até de ministros".

Na assembléia dos professores, no mesmo horário, eles decidiram peitar a posição pró-governo da justiça alagoana. É justo?!

Bom! A luta é legítima, os prejuízos também, principalmente a formação de milhares de pessoas. Nessa parte, o povo, que poderia ser e fazer a diferença, está de fora. Afalta de um veículo para os sindicatos falarem sem sensura, os deixa nas mãos de direções políticas-burguesas. É justo?!

Sem comunicação não há solução. Só pressão cansa ou faz calo. Será que para o governo interessa alunos educados, com aula?

Então, o que é justo? Qual a justiça que há nisso? De quem é culpa? Quem vai pagar por ela?

Parece que o radialista França Moura tem razão. Repetidas vezes o âncora do programa Cidadania tem reafirmado: " - Isso aqui é um Guerreiro mal ensaiado!"

Só falta dizer que mal ensaiado os mestres de guerreiro trobam um nos outros e o chapéu, que já é torto, cai de vez...

Oh! Guerreiro!!!!!



Um comentário:

Fernando Lopes disse...

Poxa, que texto bacana Tchôla, parabéns.

Não é preciso entender muito de política pra saber que há sim uma crise em nosso estado. Lógico que Téo negará, mas cabe a nós (povo) aceitar ou não a realidade.

Espero que tudo isso seja resolvido o mais rápido, pois Arapiraca está sendo muito afetada com isso!